sábado, 10 de janeiro de 2009

Tantas... Vontade

Soube hoje ao dormir, que somos tantos em pequeno número.
Soube hoje ao dormir que dos poucos que somos, há almas enormes em todos, que por mais altos ou baixos que sejamos, crescemos quando a máscara da razão nos quer ver juntos.
Soube hoje ao dormir que por mais vida que haja nenhum de nós diminui nem mirra, nenhum de nós se esvai como a água na pia em que lavamos as mãos com terra,da vinha que cavamos, juntos.
Soube hoje ao dormir que as ruas se abrem para nós, como se a chave se tivesse partido em mil bocadinhos e cada um de nós possuísse umas centenas no bolso, para colarmos e descobrirmos que luz os candeeiros nos querem dar, a todos.
Soube hoje ao dormir que quando sei que as lâmpadas não se acendem para nós todos por igual, sofremos com muita força, para que aquele a que a luz é negada tenha dificuldade em encontrar o escuro que o entristece.
Soube hoje ao dormir que se calhar gostamos mais da tristeza, porque a vemos menos, juntos.
Soube hoje a dormir que por mais longe que cada um esteja, o corpo não deixa de andar de mão dada com a inquietação, porque o olhar não nos vê, juntos.
Soube hoje ao dormir que não durmo bem sem vós, não se aquece a cama por baixo de mim nem os lençóis se encontram quietos, serenos e subtis, como qualquer descanso aprecia.
Soube hoje ao dormir que adoro chorar por vós, são lágrimas diferentes, salgam memórias, abraços, luzes e a casa a que chamamos palco, juntos.
Soube hoje ao dormir que não sou eu sozinho, andais sempre comigo e não me amedronta a solidão porque nem a conheço, nem tenho intenções de cumprimentar tal entidade desagradável, segundo dizem relatos antigos.
Soube hoje ao dormir, que a saudade é verdade, quando pensava que só a usavam em relatórios turísticos sobre o país que é nosso e que pisamos, juntos.
Soube hoje ao dormir que temos tantas arcas cheias de valores, tantas preciosidades e ouro nosso, que as devíamos mostrar ao mundo, assim eu saiba que é vossa vontade partilhar caminhos que sonhámos, juntos.


Hoje, sonhei-os convosco.


Com os olhos brilhantes das lágrimas que emprestamos um aos outros.



O João que vos tem sempre no coração.

...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Colheitas de sol

É este transe magnético que me traz de volta à vida

É esta força dos arrozais que o vento acaricia

É aquela …longitude tranquila dos penhascos doridos

É aquele rasgo de saudade que a mala suporta

Lá longe onde a manhã anoitece o dia…

Lá longe onde a pátria perdeu vidas e ganhou paixões

Lá longe... onde as tempestades trazem o sol

Lá longe onde a madrugada conhece os meandros do escuro


Tão lindo olhar-te e ouvir-te do centro da terra

Tão bom aplaudir-te o sorriso milenar

Tão fácil saber que existes naqueles inventários

Tão duro...ver-te sofrer quando perdes o sono

Prometo levar-te ao teu sonho, mostrar-te o grande rio

Prometo saltear barcos nas nossas praias

Prometo ser mais fogo a arder sem queimar

Prometo no escuro ou na sorte… Nunca parar de te escutar…



.....

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Pousio

Em tempos de fome
Digestões ligeiras
pássaro que não come
Não voa, não pia
Dormita nas beiras

Choro que destilas
calendas de amor
até às nonas supremas
são arcas centenas
transbordam de dor

Mas além ou ali
enveneno-me sempre
Fugas almejadas
unhas descalçadas
de palmas contentes


...

sábado, 11 de outubro de 2008

A vitória..e a procura de outras batalhas..{Vídeo}

video

A vitória..e a procura de outras batalhas...


Onde vais…?

Espera por mim…onde vais?
Ouço música vinda do céu…onde vais?
Para onde levas esse olhar…onde vais?
O som torna-se frenético..onde vais?
Por favor espera…por favor ajuda-me…por favor ensina-me a delirar…ensina-me a ser doente…ensina-me a viajar…não sei como é…sozinho não consigo..
Ensina-me a viver morto…acho que estou a morrer vivo…

...........



Uso nobre de paixões. Embora pareça um contrasenso enquadrar a palavra "uso" e "paixão" na mesma frase, o autor desta foto prova-nos o contrário.
Em 2007, o fotojornalista James Nachtwey foi galardoado com o TED Prize. James usou os 100 mil dólares que recebeu para correr o mundo a fotografar a luta contra uma nova mutação do bacilo da tuberculose que está a fazer milhares de vítimas, a XDR-TB (extremely drug-resistant tuberculosis). Paviagens notáveis.
Este é um dos registos...surgiram-me estas linhas...vergo-me perante estes mestres...é tão grande a espada como a batalha..espero que a espada seja ainda maior...
....Comovente

(Todas as outras podem vê-las em - http://www.xdrtb.org/ -)
....

domingo, 14 de setembro de 2008

Hoje vou escrever tudo...


Quero deixar neste papel todo o meu mundo
tudo o que sou e sei
e tudo o que represento sem saber...

De mim, físico: quero despejar tudo
a lágrima do choro de há pouco e
o sangue que não sai de tanta ferida

Do que à minha volta respira, quero embrulhar tudo
o cheiro que trespassa o perfume
da noite de um Verão que não se conhece...

Do que vejo quero descrever tudo
desde o tecto sobranceiro aos sonhos
até às estrelas que lhes fazem cócegas...

Algo em mim se revolta,
tudo cá dentro protesta mas hoje...
vou deixar tudo neste papel...
antes que a vida se canse de me contar
histórias arcaicas de paixões...
até que o sono me puxe definitavemente
até que os olhos se fechem teimosamente
e mão me deixe de obedecer...

Hoje vou pensar o que nunca se escreveu
Hoje vou escrever o que nunca se disse
Hoje vou dizer o que nunca se fez...
e amanhã...
digo tudo outra vez...

...